sexta-feira, 3 de setembro de 2010

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Artistas cantam "Somos Minas Gerais"

Em Minas, Lula evita confronto com Aécio Neves para favorecer Hélio Costa e abre crise no comitê do PMDB


Lula rejeita ideia de medir forças com Aécio por Hélio

A reação de Antonio Anastasia (PSDB), candidato de Aécio Neves ao governo de Minas, abriu uma crise no comitê de Hélio Costa (PMDB).

Ministro das Comunicações até abril, Hélio reivindica uma injeção de Lula em sua campanha.

O vice de sua chapa, Patrus Ananias (PT), ex-ministro do Bolsa Família, compartilha da mesma opinião. Para os dois, só Lula pode, a essa altura, estabelecer um contraponto à presença de Aécio na campanha rival.

Ouvido, Lula se dispôs a ajudar, mas rejeitou a idéia de travar com Aécio uma guerra de prestígio em Minas. Aécio não mede esforços. Chegou a gravar um pedido de voto que o comitê de Anastasia leva aos ouvidos do eleitorado mineiro pelo telefone.

O time de Hélio desejava que Lula fizesse o mesmo. O presidente torceu o nariz. Disse que a esse ponto não chegaria. Recordou que já havia gravado mensagem de apoio para a propaganda eletrônica de Hélio Costa. Desejava-se que fizesse nova gravação. Na peça, mais do que expressar apoio à chapa PMDB-PT, pregaria contra Anastasia e o PSDB de Aécio.

Lula, de novo, levou o pé atrás. Disse que prefere fazer campanha a favor, não contra. Por último, solicitou-se do presidente que participasse, junto com a presidenciável petista Dilma Rousseff, de uma série de atos de campanha em Minas.

Por ora, Lula topou participar apenas de mais um comício mineiro, provavelmente na quinta-feira (9) da semana que vem. Nesta terça (31), em meio ao curto-circuito que o crescimento de Anastasia provocou na campanha de Hélio, PMDB e PT reuniram-se em Brasília.

Hélio foi representado no encontro por Michel Temer, presidente do PMDB federal e candidato a vice na chapa de Dilma. Pelo PT, além de Patrus Ananias, o presidente da legenda, José Eduardo Dutra. Produziu-se na conversa mais diagnóstico do que receita.

Constatou-se o obvio: dá-se em Minas algo semelhante ao que se passa na cena nacional. O eleitor parece pender para a continuidade. A exemplo do governo Lula, a administração mineira de Aécio dispõe de alto índice de aprovação.

Em âmbito estadual, Aécio rivaliza com Lula em termos de popularidade. E converte o prestígio pessoal em votos para Anastasia. Assim como Lula faz com Dilma. Aécio diz que, no Estado, o discurso da continuidade que Lula esgrime no Brasil joga a seu favor. As pesquisas indicam que o tucano tem razão.

Do ponto de vista de Lula, o objetivo prioritário já foi alcançado em Minas: Dilma ultrapassou nas pesquisas do Estado o rival José Serra. Curiosamente, o presidente parece enxergar o caso de São Paulo de maneira diversa. Ali também Dilma já está à frente de Serra. Porém…

Porém, Lula decidiu tonificar sua presença na campanha estadual de Aloizio Mercadante, que mede forças com outro tucano, Geraldo Alckmin. Para o presidente, parece mais prioritário o esforço para dobrar a espinha do tucanato em São Paulo do que em Minas. Natural.

Alckmin é um tucano de bico mais duro que o de Aécio. Num eventual governo Dilma, tende a causar mais problemas. De resto, São Paulo é o berço do PT. E Alckmin foi o adversário de Lula na sucessão de 2006. Há na atmosfera um quê de revanche.


Fonte: Josias de Souza – Folha de S. Paulo

Correio Braziliense: “Nunca vi tanto amadorismo, provincianismo. Não tem 100 prefeitos que apoiam a candidatura do Hélio Costa”


Cavalo paraguaio

A reunião de Patrus Ananias, vice de Hélio Costa (PMDB), com o presidente do PT, José Eduardo Dutra, foi um desdobramento de um encontro ocorrido na segunda feira que serviu para lavar a roupa suja entre PT e PMDB. Segundo uma fonte da cúpula nacional petista, o clima da reunião foi bastante tenso, com acusações de ambos os lados sobre a responsabilidade do crescimento de Antonio Anastasia(PSDB) na corrida pelo Palácio da Liberdade. Segundo essa fonte, os petistas classificaram o desempenho de Costa como o de Um “cavalo paraguaio”. “Percebeu-se que nós vamos perder em primeiro turno e ninguém sabe o que fazer”, disse um petista.O PT também reclamou da falta de mobilização dos peemedebistas na campanha.

“Nunca vi tanto amadorismo, provincianismo. Não tem 100 prefeitos que apoiam a candidatura do Hélio Costa”, afirmou essa fonte. Na lavação de roupa suja sobrou também para o marqueteiro Duda Mendonça, que foi responsabilizado pela incapacidade de o programa eleitoral ter contribuído para a diminuição da vantagem que Costa exibe nas pesquisas de intenção de votos para Anastasia.

A principal crítica é tentar mostrar ao eleitor que o vice Patrus será protagonista no próximo governo. “Ninguém vota no vice. Isso só mostra a fraqueza do titular”, afirmou um outro petista. O ex-ministro José Dirceu também entrou na negociação para tentar criar uma estratégia de contra-ataque. O prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda (PSB), que apoia Dilma e Anastasia, disse que vai ser inaugurado um comitê Dilmasia na capital em 8 de setembro, um dia antes da provável visita de Lula. Lupi fez campanha para o tucano e a petista na segunda feira e acabou enquadrado. Temer negou falta de sintonia entre PT e PMDB. “O Hélio ainda está na frente, vamos esperar 3 de outubro”, afirmou.


Fonte: Correio Braziliense – 01/09/2010

Dilma abandona o barco de Hélio Costa em Minas: Não tenho pretensão nenhuma de resolver situação eleitoral em lugar algum, disse


Dilma, em relação aos aliados em Minas e São Paulo, diz que não tem pretensão de resolver situação eleitoral em lugar algum

BRASÍLIA. Sob pressão para tentar mudar o quadro, junto com o presidente Lula, das disputas em Minas e São Paulo, a candidata Dilma Rousseff afirmou nesta terça-feira que não tem pretensão de resolver a dificuldade de aliados nas disputas regionais. Em Minas, o senador Hélio Costa (PMDB) foi ultrapassado pelo governador tucano Antonio Anastasia no Ibope. Em São Paulo, o senador Aloizio Mercadante (PT-SP) está distante do ex-governador tucano Geraldo Alckmin. Dilma prometeu empenho, mas relativizou sua influência.

- Eu sou mais modesta. Não acho que eu resolvo o problema. Eleição é uma coisa que tem suas características. Cada estado tem a sua característica. Não tenho pretensão nenhuma de resolver situação eleitoral em lugar algum – disse a candidata. – Tenho a pretensão de fazer campanha e de ajudar aqueles que são meus parceiros. Sem achar que eu tenho esse poder, eu vou me empenhar tanto na eleição de São Paulo como na eleição de Minas. Mas não vou descuidar de outros estados.
A afirmação de Dilma foi interpretada como recado para os aliados diminuírem a cobrança. Na mesma linha, Lula mandou recado de que não vai aceitar pressão ou ser responsabilizado por eventuais derrotas de aliados. Mesmo sobre possíveis derrotas de candidaturas forçadas pelo PT e pelo Planalto, Lula não aceita cobrança. O presidente fará esforço pelos aliados nos estados no limite em que esse empenho não prejudique a candidatura de Dilma.

A coordenação nacional identificou que cresceu no eleitorado mineiro e até mesmo entre os prefeitos de Minas o voto “Dilmasia”, em Dilma e Anastasia. Diante disso, avalia-se que é preciso ter cuidado com a forma como Lula atuará em Minas. Segundo um ministro, o mesmo cuidado ocorrerá em outros estados. Em São Paulo, já foi identificado o “Dilmin”, voto em Dilma e Alckmin. A preocupação é encontrar o tom para não abandonar Mercadante, que só saiu candidato a pedido de Lula.


Fonte: Gerson Camarotti – O Globo

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Anastasia, Aécio e Itamar são recebidos com festa em Paracatu

Fotos: Rodrigo Lima / Nitro


Fonte: Coligação "Somos Minas Gerais" - 31/08/2010 - Assessoria de Imprensa

O governador Antonio Anastasia, candidato à reeleição, e os candidatos ao Senado pela coligação “Somos Minas Gerais”, o ex-governador Aécio Neves e o ex-presidente Itamar Franco, desembarcaram no aeroporto de Paracatu, no Noroeste de Minas. Eles foram recebidos por cerca de 600 pessoas entre prefeitos da região, lideranças políticas e eleitores.

No aeroporto, uma enorme faixa com os dizeres "Paracatu tem orgulho de vocês" saudou os candidatos. Anastasia, Aécio e Itamar seguiram em carreata pelas ruas da cidade. No Centro, fizeram caminhada com eleitores na avenida Quintino Vargas. No início da tarde, Anastasia, Aécio e Itamar Franco visitaram a cidade de Unaí, também no Noroeste do Estado.

Anastasia denuncia intimidação de Hélio Costa aos eleitores mineiros


Anastasia defende autonomia dos mineiros para escolha do governador do Estado

Fonte: Coligação "Somos Minas Gerais" - 31/08/2010 - Assessoria de Imprensa

Governador diz que tentativa de intimidação feita aos eleitores em favor de um projeto de poder nos remete aos tempos da ditadura militar

O governador de Minas, Antonio Anastasia, lamentou hoje (31/08) a tentativa de intimidação feita aos eleitores mineiros pelo candidato da coligação PMDB/PT no programa eleitoral gratuito exibido na TV ontem à noite. O governador ressaltou que num regime federativo, como é o brasileiro, os estados trabalham em defesa das demandas específicas da população de cada região, e não pela submissão a interesses políticos. Anastasia lembrou que a nomeação de governadores pelo governo federal faz parte do passado dos brasileiros, tendo ocorrido apenas sob o regime da ditadura.

“Nós vivemos em uma federação de estados, ou seja, precisamos sempre saber que os estados têm autonomia. Nós não estamos mais naqueles tempos antigos do regime militar, da ditadura, quando os governadores eram nomeados pelo presidente”, disse Anastasia em entrevista concedida na chegada a Unaí, esta tarde, para encontros com a população da região.

Os mineiros decidem

Antonio Anastasia destacou que a história de Minas é marcada pelo importante papel de destaque do Estado na vida nacional. Ele afirmou que o governador de Minas deve ser eleito pelos mineiros para que possa assumir com autonomia e liberdade a defesa dos interesses do Estado e de sua população.

“O governador de Minas tem de defender os interesses de Minas Gerais. Os mineiros decidem e, assim, nós vivemos sempre com muita liberdade e com muita autonomia. Eu acho que há um desconhecimento deles da história de Minas”, afirmou Anastasia.

Candidato da intervenção

O ex-governador Aécio Neves, candidato ao Senado Federal, também criticou a ameaça feita aos mineiros durante o programa eleitoral adversário.

“Os mineiros é que definem o seu destino. O Itamar (Franco) foi um grande exemplo disso, o nosso governo também foi. Minas deve ser altiva, independente e forte, por representar os interesses dos mineiros, até porque muitas vezes os interesses de Minas são contraditórios, são antagônicos aos interesses do governo federal”, afirmou.

Aécio reiterou que a própria formação da chapa PMDB e PT é resultado da intervenção federal nas bases políticas em Minas e foi imposta aos eleitores e às lideranças municipais mineiras.

“Antonio Augusto Anastasia é candidato por suas virtudes e por seu trabalho em favor dos mineiros, e não por imposições externas. Não é o candidato da intervenção, é o candidato do coração de cada um dos mineiros. Não deixaremos que Minas se curve, não deixaremos que as imposições prevaleçam em Minas Gerais”, disse Aécio Neves.

Reportagem da Revista Veja diz que eleição de Hélio Costa pode ressuscitar políticos de passado controvertido


Eles querem voltar

Eles querem voltar

A eleição do candidato a governador de Minas Gerais, Hélio Costa, do PMDB, pode ressuscitar políticos de passado controvertido:

Newton Cardoso
Denunciado por desvio de verbas, disse ter acumulado mais de 2,5 bilhões de reais enquanto exercia cargos públicos

Anderson Adauto
Ex-ministro dos Transportes do governo Lula, admitiu ter participado do mensalão: teria recebido mais de 1 milhão de reais do valerioduto

Ivan Guimarães
Conhecido como Ivan, o Terrível, articulou a aliança de Costa com o PT. Ex-presidente do Banco Popular, admitiu ter liberado 29 milhões de reais para a DNA, agência de Marcos Valério, o operador do mensalão

Saraiva Felipe
Ex-ministro da Saúde de Lula, tem duas ligações com a máfia dos sanguessugas: fez emendas que beneficiaram o esquema e nomeou a assessora que chefiava a quadrilha a partir de um gabinete vizinho ao seu

João Magno
Ex-deputado do PT, recebeu dinheiro do mensalão. Ao ser absolvido pela Câmara, inspirou sua colega Angela Gaudagnin a fazer a coreografia da “dança da pizza”

Leia a reportagem completa: “A caixa-preta do caixa dois”


Fonte: Revista Veja

Anastasia anuncia em Varginha criação do Fundo Estadual do CaféFundo terá recursos do Tesouro do Estado e será administrado em parceria com as lideran


Fundo terá recursos do Tesouro do Estado e será administrado em parceria com as lideranças do setor para garantir renda aos cafeicultores e evitar queda de preço


Em visita de José Serra, Aécio Neves e Antonio Anastasia a Varginha, cafeicultores comemoram a proposta do governador de criar o Fundo Estadual

O governador Antonio Anastasia, candidato à reeleição, anunciou (30/08) que, reeleito, criará o Fundo Estadual do Café em Minas Gerais. O governador esteve no Sul de Minas, ao lado do ex-governador Aécio Neves, candidato ao Senado Federal, e do candidato à Presidência, José Serra. Os três foram recebidos com muita festa em Varginha e Itajubá. O Fundo Estadual do Café contribuirá para garantir a renda dos cafeicultores, evitando as perdas provocadas pelo excesso de oferta e queda de preço do produto. Minas Gerais é o maior produtor e exportador de café do Brasil. A safra estadual este ano está estimada em 23 milhões de sacas, metade da produção nacional.

“Já temos uma política muito positiva de cooperação, de assistência técnica, de produtividade e excelência do café em Minas. Vamos criar um Projeto Estruturador, vinculado ao Governador do Estado, e o Fundo Estadual do Café, com recursos do Tesouro de Minas, exatamente com este objetivo de, junto com as lideranças da cafeicultura, identificarmos onde estão as prioridades para alocarmos esses recursos. Ora para seguro, ora para garantia, e para diminuir a questão das margens”, explicou o governador.

Em Minas, a cafeicultura gera 1,2 milhão de empregos diretos. As exportações de café de Minas, nos primeiros sete meses deste ano, cresceram 21,3% em relação ao mesmo período do ano passado, de acordo com dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. O valor das exportações foi de US$ 1,8 bilhão, o que representa quase a metade de todas as vendas do agronegócio mineiro.

Sonho antigo
A proposta de criação do Fundo Estadual do Café, apresentada pelo governador Antonio Anastasia, foi muito comemorada pelos cafeicultores. O membro do Conselho Nacional do Café (CNC) e presidente da Cooperativa dos Cafeicultores da Zona de Varginha (Minasul), Oswaldo Henrique Paiva Ribeiro, disse que esse era um sonho antigo dos produtores.

“É excelente. Já é uma ideia do setor há muito tempo para que tenhamos políticas consistentes e duradouras para a cafeicultura mineira, que é a maior do Brasil. Esse fundo pode ajudar tanto na parte de pesquisa, divulgação, até no sentido de se preservar a renda do produto, através de políticas, como preço de garantia, ou outros instrumentos modernos de comercialização, que permita realmente o produtor ter uma renda digna de acordo com a sua atividade”, disse o membro do Conselho Nacional do Café.

Negociação com o Governo Federal
Em Varginha, Antonio Anastasia também reafirmou o seu compromisso de cobrar do Governo Federal uma política nacional cafeeira adequada para o setor. Cabe ao Governo Federal garantir um preço mínimo para a saca do café acima dos custos de produção e oferecer contratos de opção de compra do produto pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), retirando o excesso de café do mercado.

“Vamos fazer um esforço imenso para que o Governo Federal se sensibilize e atue na sua responsabilidade, que é a questão do preço mínimo da saca, da regulagem do estoque e da dívida dos cafeicultores”, cobrou Antonio Anastasia.

O ex-governador Aécio Neves afirmou que os produtores café foram esquecidos pelo Governo Federal nos últimos anos e que, no Senado, trabalhará, juntamente com o governador Antonio Anastasia, por uma política permanente para a cafeicultura.

“Infelizmente neste governo, o café não vem tendo, por parte do Governo Federal, que é quem define essa política, a atenção que precisa ter. Espero, no Senado também, ao lado do governador Anastasia, agir com o apoio de outros estados produtores para que possamos ter uma política permanente, que dê tranqüilidade e, obviamente, lucratividade para a atividade da cafeicultura”, afirmou Aécio Neves.

Compromisso com o café
O ex-governador José Serra, candidato à Presidência, também se comprometeu, caso seja eleito, a criar uma política nacional de proteção à cafeicultura. Para ele, a presença da União no mercado do café é fundamental pelo alto número de empregos que o setor gera.

“A cafeicultura precisa de uma política de governo que a apoie para que ela possa render frutos em matéria de empregos, de divisas e de atividade econômica. É preciso ter uma política de estoques regulatórios na agricultura, preço mínimo, seguro agrícola para dar força para o café e maior competição para ele e mais divisas para o Brasil, e mais empregos. Está faltando uma política agrícola boa para o café no Brasil. É uma política que vou fazer por que conheço esse assunto e sei que Minas é o principal estado do Brasil hoje”, disse José Serra.

Certificação e Centros de Excelência
O Governo de Minas, nos últimos oito anos, promoveu uma política inovadora de estimulo à produção de café. Criou o programa de certificação de propriedades cafeeiras, o Certifica Minas Café, para atestar a conformidade das propriedades cafeeiras às exigências dos padrões do comércio mundial. Foi o primeiro programa do gênero implantado no País por um governo estadual. Com a certificação, os pequenos produtores têm a oportunidade de conquistar novos mercados, inclusive no exterior.

O cadastro dos produtores no programa, a assistência técnica e as orientações para adequações das propriedades são feitos pela Emater-MG. Em 2009, 1.026 propriedades estavam certificadas. Até o ano 2011, serão 1.500 propriedades com o selo de certificação.

Entre 2005 e 2009, na gestão de Aécio Neves, o Governo de Minas também investiu cerca de R$ 3 milhões na implantação de três Centros de Excelência do Café para desenvolver pesquisas ligadas ao setor e capacitar trabalhadores rurais, engenheiros agrônomos e outros profissionais ligados à cadeia produtiva do café.

Os centros ainda capacitam profissionais que atuam na classificação de café. Os Centros de Excelência do Café estão instalados em Machado (Sul de Minas), Viçosa (Zona da Mata) e Patrocínio (Alto Paranaíba) e foram construídos em parceria com prefeituras, universidades e associações.

Campanha
Antonio Anastasia, Aécio Neves e José Serra foram recebidos por cerca de 200 pessoas no aeroporto de Varginha no início da tarde. Em seguida participaram de uma carreata a partir da Praça Getúlio Vargas. Durante todo o trajeto, os candidatos foram saudades por eleitores que tiravam fotos e acenavam para os candidatos.

Em seguida, Anastasia, Aécio e Serra deram início a uma caminhada no calçadão da rua Wenceslau Braz, no centro da cidade. Eles cumprimentaram os eleitores e entraram em lojas e lanchonetes. Cerca de 500 pessoas acompanharam a caminhada dos candidatos que, em seguida, foram para Itajubá.


Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

Itamar Franco defende Senado independente


O candidato ao Senado pela coligação “Somos Minas Gerais”, Itamar Franco, defende a independência dos senadores em relação ao Poder Executivo. Ontem, em seu twitter, Itamar afirmou que a primeira atribuição constitucional de um senador é julgar o presidente da República. “A primeira atribuição constitucional de um senador é julgar o presidente da República”. E perguntou: “Como pode um candidato anunciar-se senador do presidente?”

No entendimento de Itamar Franco, que já foi senador por 16 anos, em dois mandatos, o parlamentar deve preservar sua isenção, em vez de dizer que será um representante do presidente da República. Um dos motivos que teriam levado ao enfraquecimento do Poder Legislativo, segundo o ex-presidente da República, foi o atrelamento do Congresso ao Governo Federal. “Precisamos resgatar a independência dos Poderes”, afirma.

Ao longo dos dois mandatos como senador, Itamar sempre atuou no campo da oposição, eleito pelo antigo MDB. “Éramos minoria, mas sempre procuramos estudar e nos preparar, como recomendava o saudoso Franco Montoro”, afirma o ex-presidente da República.

Itamar acredita que o senador deve defender os interesses do seu Estado de origem na Câmara Alta. “Outra atribuição, além de julgar o presidente, é estudar o endividamento dos estados e municípios. Dessa forma, ele pode atuar em prol do Estado e dos prefeitos, que é o que Aécio e eu pretendemos fazer caso eleitos”, diz o ex-presidente.

Pacto Federativo

Uma das frentes de trabalho em que pretende atuar é a defesa do pacto federativo. Segundo ele, a União arrecada muito e transfere pouco para os outros entes federativos. “Precisamos efetivar uma distribuição mais justa dos recursos, de tal forma que as cidades que dependem do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) tenham como sobreviver”, disse o candidato.

Itamar também pretende lutar pela elevação da alíquota da Cfem, o royaltie do minério, hoje da ordem de 1,6%. “É um absurdo que cidades como Congonhas e Conselheiro Lafaiete, por exemplo, tenham seu subsolo explorado à exaustão e, depois, não recebam uma compensação à altura”.

Itamar Franco disse ainda não compreender o questionamento que está se fazendo sobre as pesquisas divulgadas na última semana. Segundo o Ibope, o governador Antonio Anastasia ultrapassou seu adversário e lidera a disputa para o Governo de Minas. “A candidatura do adversário foi definida com base em pesquisas. Agora, querem desqualificar as mesmas pesquisas?”, perguntou.

Segundo ele, pesquisa é um retrato do momento e deve ser relativizada. “Temos que arregaçar as mangas e trabalhar muito para sermos aprovados na verdadeira pesquisa, que é a das urnas”, diz.


segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Governador Anastasia em posse do novo presidente da Fecomércio


Fonte: Coligação "Somos Minas Gerais" - 30/08/2010 - Assessoria de Imprensa

O governador Antonio Anastasia participou na noite desta segunda-feira (30/08) da posse do novo presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio Minas), Lázaro Luiz Gonzaga. A solenidade aconteceu no Hotel Ouro Minas.

Fotos: Emmanuel Pinheiro / Nitro

QUE QUE ISSO COMPANHEIRO !!!

Prefeitos do Sul de MG vão intensificar campanha de apoio a Anastasia

Prefeitos do Sul de Minas querem intensificar campanha nas ruas para ampliar crescimento de Antonio Anastasia nas pesquisas eleitorais

Fonte: Coligação "Somos Minas Gerais" - 30/08/2010 - Assessoria de Imprensa
Anastasia, Aécio Neves e José Serra encontram clima de festa em visita a Varginha e Itajubá
O governador Antonio Anastasia, candidato à reeleição, e os ex-governadores Aécio Neves, candidato ao Senado, e José Serra, candidato à Presidência, receberam, nesta segunda-feira (30/08), o apoio de moradores, prefeitos e lideranças políticas do Sul de Minas, durante visita às cidades de Varginha e Itajubá. Nos últimos dias, a forma como Anastasia vem governando o Estado tem sido elogiada e defendida até por prefeitos do PMDB, PT e PRB, partidos que estão ligados à candidatura de oposição aos governos Aécio/Anastasia.
No Sul de Minas, vários prefeitos da região destacaram o crescimento da candidatura do governador na pesquisa Ibope, divulgada na última semana e que mostra Antonio Anastasia na liderança das intenções de voto no Estado com 35% da preferência dos eleitores. Já o seu principal adversário, Hélio Calixto Costa, do PMDB, caiu cinco pontos em menos de uma semana e ficou com 33%.
“A virada já era esperada porque a gente sabia que assim que o horário político começasse no rádio e na TV, o desconhecimento do governador Antonio Anastasia diminuiria. Antonio Anastasia é a pessoa mais capaz para administrar o nosso Estado. Sem dúvida, tenho certeza que essa diferença tende a aumentar e o professor Anastasia será o próximo governador de Minas em 2011”, afirmou o prefeito de Três Corações, Fausto Ximenes (PSDB), em Varginha.
O presidente da Associação Microrregional do Baixo Sapucaí e prefeito de Santana da Vargem, Argemiro Galvão (PDT), afirmou que trabalhará em seu município para que Antonio Anastasia vença as eleições no primeiro turno.
“Estamos propondo agora o crescimento para que possamos ter a vitória no primeiro turno. É importante porque sabemos da sua administração, do seguimento que ele tem junto ao Aécio Neves e da sua seriedade, seu comprometimento com Minas Gerais. Sabemos de tudo o que ele fez, de tudo que ele proporcionou e de tudo que ele vai proporcionar ainda”, disse.
“Hora de arregaçar as mangas”
O governador Antonio Anastasia destacou que encara o seu crescimento nas pesquisas com muita humildade. Para ele, o resultado o estimula a continuar levando a todos os mineiros a melhor proposta para conduzir o futuro de Minas. “É hora de arregaçar as mangas e bater de porta em porta, de rua em rua, de bairro em bairro. Precisamos do apoio de todos”, afirmou Anastasia, em Itajubá.
Em um breve discurso, o ex-governador Aécio Neves destacou a liderança de Antonio Anastasia confirmada pelo Ibope. “Em Minas Gerais, o Anastasia já virou, mas ainda é hora de trabalhar para ganhar as eleições”, disse Aécio Neves, seguido de muitos aplausos dos eleitores.
Verdadeiro candidato mineiro
O prefeito de Muzambinho, Sergio Paolielo (PSDB), destacou que os mineiros sabem escolher o melhor candidato para governar Minas Gerais. Segundo ele, os resultados das pesquisas também refletem a percepção do eleitorado de que a aliança em torno de Antonio Anastasia é a que atende os interesses de Minas Gerais.
“O mineiro é muito desconfiado e está mostrando isso com essa virada. Na hora certa, ele sabe em quem votar. O verdadeiro candidato dos mineiros é o professor Antonio Anastasia e temos tranqüilidade que isso iria acontecer. A tendência agora é subir mais nas pesquisas”, afirmou o prefeito de Muzambinho.
Varginha
Antonio Anastasia, Aécio Neves e José Serra iniciaram a visita ao Sul de Minas por Varginha. Eles chegaram à cidade no início da tarde e foram recebidos no aeroporto por centenas de lideranças políticas. Em seguida, participaram de carreata a partir da Praça Getúlio Vargas. Durante todo o trajeto, os candidatos foram saudados por eleitores que acenavam e tiravam fotos. No calçadão da rua Wenceslau Braz, no Centro da cidade, os candidatos fizeram caminhada com os eleitores. Uma grande multidão acompanhou Anastasia, Aécio e Serra. Os candidatos cumprimentaram os eleitores e entraram em lojas e lanchonetes.
O presidente da Câmara Municipal de Varginha, vereador Leonardo Ciacci (PP), afirmou que a população de Varginha vai demonstrar nas urnas o reconhecimento aos avanços sociais e econômicos promovidos por Aécio e Anastasia no Sul de Minas.
“A população de Varginha vem demonstrando total apoio à candidatura de Antonio Anastasia. Tendo em vista todos os investimentos realizados na nossa cidade e no Sul de Minas, fazendo que a nossa região seja mais próspera, mais desenvolvida e com mais oportunidades. Varginha vai agradecer nas urnas o empenho de Aécio Neves e Antonio Anastasia em prol da nossa região”, disse.
Itajubá
Após a grande festa que parou o centro de Varginha, os candidatos seguiram para Itajubá. Eles foram recebidos por dezenas de prefeitos ao desembarcar na empresa Helibras. Centenas de carros seguiram os candidatos até o Centro da cidade, onde fizeram caminhada, acompanhados por uma grande multidão.
O candidato à Presidência, José Serra, destacou o potencial da região, principalmente no setor tecnológico. “Itajubá é um dos lugares que mais se desenvolve em Minas e no Brasil. Vamos fortalecer aqui a tecnologia, o parque tecnológico, expandir as universidades em toda essa região que é uma região de vanguarda no Brasil. Já viramos em Minas, vamos virar juntos no Brasil”, afirmou.
O prefeito de Itajubá, Jorge Mouallem (PTB), destacou que os prefeitos do Sul de Minas continuarão a trabalhar para levar as propostas do governador Antonio Anastasia aos eleitores de todos os cantos do Estado. Segundo ele, o apoio recebido das lideranças políticas da região é um reconhecimento às ações desenvolvidas pelo Governo de Minas nos últimos oito anos.
“Estamos fazendo um trabalho muito grande de reuniões nos bairros, nas comunidades, nas entidades, levando o nome do professor Anastasia e levando todas as realizações que ele fez para a nossa cidade, para a nossa região. Itajubá e o Sul de Minas nunca foram tão prestigiados por um governo quanto esse governo Aécio Neves/Anastasia”, declarou.
O prefeito de Caldas, Hugo Camacho (DEM) afirmou que os avanços obtidos em Minas só irão continuar com a reeleição de Antonio Anastasia.
“Toda a nossa região recebeu muitos investimentos do Aécio Neves e do atual governador Anastasia. Se Deus quiser, ele vai ser reeleito para continuar este avanço que está em Minas Gerais e, principalmente, no Sul de Minas”, disse.
Melhor escolha
O prefeito de Elói Mendes, Natal Cadorini (PDT), afirmou que a população reconhece em Antonio Anastasia o melhor gestor público do Brasil. “A população reconheceu no Anastasia que ele é o melhor gestor público não de Minas Gerais, mas do Brasil. A tendência é continuar subindo nas pesquisas e a eleição se encerra brevemente no primeiro turno”, disse.
O prefeito de Carmo da Mata, Milton Salles Neto (PTB), afirmou que a população de Minas quer a continuidade dos avanços iniciados no governo de Aécio/Anastasia.
“Desde o início, a gente vê a maioria dos prefeitos apoiando o Anastasia, apoiando o Aécio, justamente pelo motivo que nós prefeitos gostamos do atual governo e queremos continuidade. Ainda faltam uns 30 dias das eleições, e a tendência é crescer mais ainda”, afirmou.
O reconhecimento aos avanços também é o motivo da escolha dos mineiros por Antonio Anastasia, segundo o prefeito de Carmo da Cachoeira, Hélcio Reis (PTB). “O Anastasia vai ganhar as eleições pelo o que ele fez no nosso Estado. Carmo da Cachoeira, por ser um município pequeno, nunca recebeu tantos investimentos como no governo Aécio e Anastasia”, afirmou.